Archive for março, 2010

Top 20 – Melhores Séres da Década (Parte 10)

Lost – 128 pontos (7 poles, 11 pódios)
2004 – 2010
criada por: J.J. Abrams, Damon Lindelof e Jeffrey Lieber.

27 de março de 2010 at 20:45 23 comentários

Top 20 – Melhores Séries da Década (Parte 9)

Battlestar Galactica – 93 pontos (2 poles, 6 pódios)
2003 – 2009
desenvolvida por: Ronald D. Moore, baseada na série criada por Glen Larson.

“Ficção científica não é exatamente o gênero mais amado na literatura, mas quando o assunto é cinema ou TV, não temos grandes exemplos de adoração. E Battlestar Galactica a apresenta magnificamente. Como toda boa obra de sci-fi, BSG conta uma história que une dramas pessoais, política, religião, conflitos sociais, étnicos e uma série de outras questões inerentes a condição humana e da vida em sociedade. E isso faz desse programa uma obra única. Muito mais que entretenimento (papel, aliás, que cumpre muito bem), BSG oferece uma série de caminhos e possibilidades para a reflexão da sociedade atual, da nossa história, e até mesmo do nosso futuro.” (Daniela Soares)

27 de março de 2010 at 20:45 3 comentários

Top 20 – Melhores Séries da Década (Parte 8)

Six Feet Under – 82 pontos (4 poles, 8 pódios)
2001 – 2005
criada por: Alan Ball

“Um elenco estelar (Krause, Hall, Conro) mostra como é a vida após a morte…para os que ficam. Espere que a série seja depressiva em diversos momentos (como não querer bater com a cabeça na parede com aquela montagem final?). Mas as reflexões geradas pelas situações mostradas são poderosíssimas. Também temos o famoso humor negro de Alan Ball (vencedor do Oscar de roteiro por Beleza Americana), mostrando que até a morte pode ser engraçada.” (Juliano Cavalca)

27 de março de 2010 at 20:35 4 comentários

Top 20 – Melhores Séries da Década (Parte 7)

The West Wing – 74 pontos (1 pole, 5 pódios)
1999 – 2006
criada por: Aaron Sorkin.

“Poucas figuras fascinam tanto quanto o presidente americano. Pudera, o homem  tem poder suficiente para não apenas decidir os passos de sua nação como para também ditar os rumos do mundo inteiro. Não importa se é um bufão como George W. Bush, um mulherengo como Bill Clinton ou um estadista como Barack Obama, o presidente americano tem todos os seus atos acompanhados pela imprensa mundial. Mas nenhum, NENHUM, ocupante da Casa Branca foi tão carismático quanto Jed Bartlet. Acompanhamos a trajetória de C. J Cregg, Josh Lyman e sua assistente Donna Moss, Leo McGarry, Toby Ziegler e do assistente pessoal de Bartlet, Charlie Young.  Mesmo tendo seu último episódio exibido há quatro anos atrás, é possível reconhecer muitas situações enfrentadas por Bartlet e seu staff no noticiário atual. The West Wing é atemporal, uma das mais marcantes características dos clássicos. Ofereceu entretenimento com cérebro, algo raro ultimamente.  E será sempre lembrada como uma das grandes atrações da televisão na década, merecidamente.” (Gisele Ramos)

27 de março de 2010 at 20:30 3 comentários

Top 20 – Melhores Séries da Década (Parte 6)

The Sopranos – 62 pontos (5 pódios)
1999 – 2007
criada por: David Chase.

“Dividido entre as pressões de suas duas famílias (a de seus ‘associados’ e a de casa), Tony Soprano, chefão da máfia de Nova Jersey, mergulha numa depressão manifestada através de constantes ataques de pânico que acabam levando-no à terapia, onde busca não só a origem de seu problema, mas a chance de exorcizar seus traumas. Esse é, em linhas gerais, o mote de The Sopranos. Agora, se você nunca viu a série, lendo essa descrição provavelmente pode até pensar que ela não tem nada de mais. Contudo, acredite, é justamente por conta desse probleminha do mafioso, que somos apresentados  a um estudo nu e cru de um ambiente charmoso e que sempre desperta curiosidade, mas que é igualmente carregado de dramas, mentiras, violência e até mesmo humor, negro, claro. Complexa e inteligente, não é por acaso que The Sopranos figura no topo da lista das melhores dá última década em votação realizada pelos membros da Sociedade dos Blogs de Séries. Pode confiar, assistí-la é ter a oportunidade de experimentar um grande clássico moderno da TV.” (Davi Garcia)

27 de março de 2010 at 20:25 Deixe um comentário

Top 20 – Melhores Séries da Década (Parte 5)

Arrested Development – 54 pontos (2 poles, 4 pódios)
2003 – 2006
criada por: Mitchell Hurwitz.


“Arrested Development: sabe quando acontece algo na tua vida, do tipo encontrar “The One”, ou nascer um filho, ou pisar pela primeira vez na tua cidade favorita, e tu pensa “that’s it”? pois bem. foi isso que aconteceu quando eu vi o episódio Good Grief! pela primeira vez na TV. este era apenas meu segundo episódio de AD; tinha visto Amigos na semana anterior, por conta de uma insônia, e achei muito bom, fiquei com vontade de acompanhar a série. mas com este aqui eu caí do cavalo. duas semanas depois eu estava encomendando o DVD importado da primeira temporada. eu não tinha visto nada da primeira temporada ainda, e download de série era algo que eu nunca tinha ouvido falar (e mesmo que tivesse ouvido, com aquele computador velhinho e a conexão-lixo não teria como, mesmo), mas eu precisava ter aquela série comigo. e olha que da primeira vez que eu vi este episódio, eu não tinha entendido metade das referências. tudo bem. eu consegui entender o mais importante de tudo: que eu estava presenciando uma obra genial, o melhor e mais representativo episódio da minha série favorita não só dos anos 00, mas de todos os tempos. reassisti ele há umas semanas e a emoção de assisti-lo só melhora com o tempo. se alguém quiser me mandar pra uma ilha deserta com somente uma série pra me divertir eventualmente, me mandem com essa. e quando eu morrer, convidem o GOB para fazer a maior illusion de todos os tempos no meu funeral. com certeza vai parar na capa da Poof.”
(Fer Funchal)

Gilmore Girls – 49 pontos (1 pole, 4 pódios)
2000 – 2007
criada por: Amy Sherman-Palladino.

Procurando emprego no finado WB, Amy Sherman-Palladino, ex-roteirista de programas como Roseanne e Veronica’s Closet, levou uma série de projetos à sala da diretora do canal na época. Gilmore Girls, sobre a relação pra lá de amistosa entre mãe e filha, foi o último que ela apresentou.”É exatamente isso que nós queremos!”, respondeu a chefia. Na época, nenhuma das duas sabia, mas era exatamente isso que todo mundo queria. Personagens que pareciam feitos sob medida para o universo que habitavam; atores que liam falas rápidas e complicadas como quem pedia um café; historinhas de amor esperando para acontecer; referências pop. Muitas referências pop. Quando referências pop nem eram cool ainda. Durante seis anos (no sétimo, abandonou o barco, por divergências com a emissora) dessa última década, Amy produziu, escreveu e dirigiu Gilmore Girls com tanto apego que é impossível separar criadora e criação. Se as duas não inventaram um estilo durante esse tempo, no mínimo o aperfeiçoaram. E muito bem. (Felipe Rezende)

27 de março de 2010 at 20:20 4 comentários

Top 20 – Melhores Séries da Década (Parte 4)

24 Horas – 47 pontos (1 pódio)
2001 –
criada por: Joel Surnow e Robert Cochran.

“Em nenhuma lista de Melhores Seriados da década irá faltar 24 HORAS. Seja pela inovação de formato narrativo ou pelo carisma do personagem principal, é inquestionável a contribuição da trama para a história da TV americana. Responsável pela execução do conceito “tempo real” em novembro de 2001, o show da rede Fox indicava uma série de vida curta. Afinal, quanto fôlego os produtores teriam para mostrar em sequência um dia inteirinho da vida de um agente especial sem torná-la cansativa? Hoje, nove anos depois, a resposta é conhecida: a fórmula já está consagrada.
Mesmo antes de soar o primeiro bipe do reloginho digital marcador dos intervalos de cada episódio é fácil sentir que esta série é diferente. 24 HORAS é mais uma do estilo “ame ou odeie” – indiferente ninguém fica. Capitaneada pelo controverso personagem batizado Jack Bauer, espécie de McGyver com apoio da mais moderna tecnologia e dono de um instinto kamikaze, 24 é sem dúvida o seriado de mais ação no ar atualmente. Em sua oitava temporada, equivalente a apenas oito miseráveis dias na vida do personagem, o show tirou do ostracismo a carreira do ator Kiefer Sutherland, que não raro era referido como “o ex-noivo de Julia Roberts” que perdeu a musa após uma noitada com prostitutas. Enquanto seu personagem busca por redenção, seu intérprete já a encontrou. O show baseado no anti-herói que faz o certo por meios duvidosos não se contenta em distribuir sopapos, tiros e bombas ao longo dos episódios. 24 HORAS inevitalmente aposta em um pano de fundo social e político, quase sempre oportuno, que suscita grandes discussões na mídia. Foi assim na estreia – dois meses após os ataques às Torres Gêmeas, com uma trama que envolvia atentados à América – e segue assim desde então – como na sétima temporada, quando adentrou a Era Obama questionando os atos do passado.  A serviço de seu país, ocupando postos na CTU (Unidade de Contra-Terrorismo, na tradução) e no Departamento de Defesa, ou até mesmo solitário na África, caso do telefilme derivado da série, Jack Bauer derruba inimigos e arrebata fãs na mesma velocidade. Já é clássico na série o “mocinho” tropeçar em agentes infiltrados, prova de que o RH do serviço público dorme no ponto. Entre um salvamento e outro, tanto de um presidente americano quanto de cidades inteiras, são construídos laços de amizades no ambiente de trabalho e uns poucos amores, nunca com finais felizes. Mas não há tempo para lamentar as perdas: a vida tensa de Bauer recomeça a cada temporada, sem direito a pit stops no banheiro ou sequer um lanchinho.”
(Camila Saccomori)

Dexter – 43 pontos (2 pódios)
2006 –
desenvolvida por James Manos Jr, baseada no livro de Jeff Lindsay.

Todos nós temos vícios incorrigíveis, uma ânsia ou um desejo profundo e inquietante por algo, mas são poucos os que vão até a fonte buscá-la. Dexter Morgan faz parte desse seleto grupo e seu vício é matar. Psicopata, perito, marido e pai, ele foi condicionado a fazer o bem praticando o mal, escrevendo sua própria justiça com uma lâmina afiada e muito sangue – quer gostem ou não. Uma das maiores surpresas desta década sem dúvida foi esta insuperável série dramática do Showtime americano que narra a história do mais atípico herói, o malvado homem do bem, o defensor da escuridão. Dexter é uma série única, um evento anual e obrigatório no calendário de todo sériemaníaco. É o “must see” da TV contemporânea.” (Bruno Carvalho)

The Office – 36 pontos
2005 –
desenvolvida por Greg Daniels, baseada na série criada por Ricky Gervais e Stephen Merchant.

“Num primeiro instante a versão americana de The Office, criada por – hoje tão popular, mas na época nem tanto – Ricky Gervais, pode parecer mais uma tentativa frustrada de recriar o humor ácido e nonsense da versão britânica. Entretanto, muito mais que um simples spin-off, The Office tornou-se nessa sua nova versão um seriado com muito mais a oferecer que sua versão-mãe, talvez porque saiba usar o humor nonsense de forma mais sutil e crie através seus personagens – caricatos, mas simpáticos – a sensação de prazer e satisfação ao acompanhar sua jornada de trabalho na Dunder Mifflin.” (Fabio Nascimento)

27 de março de 2010 at 20:15 4 comentários

Posts antigos


Twitter @blogsdeseries

Blog Stats

  • 205,404 hits

BlogBlogs

Add to Technorati Favorites

março 2010
S T Q Q S S D
« fev   abr »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031